Tenho fama de ser uma mãe “agitadora”, dentre as “comunidades” de familiares de crianças com deficiência que eu participo. Na verdade, acho que diante desta maternidade tão especial, consegui aprofundar ainda mais meus laços profissionais. Voltei-me ao trabalho e à vida de mãe. E como em uma simbiose quase ambulante, misturei as bolas, troquei os pontos e acabei conseguindo juntar o útil ao agradável.

 

Quero dizer que antes de jornalista e produtora eu sou “A” produtora da Bebel, minha filhota de seis anos e meio. Sua vida, sua rotina, seus terapeutas... São tantas coisas que me ocupam como se fosse uma profissão. Porém, aqui, é tudo no amor... Tem coisa melhor? Produzir por amor... Ah! Não tem não... Eu adoro inventar, dar asas à imaginação, idealizar, produzir... Tudo relacionado ao universo mágico e encantador das necessidades específicas que minha filha e seus “coleguinhas” têm.

Pensando assim, criei uma Ala inclusiva, a Ala Eficiente, que desfilou dentro de um bloco (o Bloco dos Mendigos), no Carnaval do ano passado. Procurei afirmar ainda mais a minha ideia este ano e, com ajuda de amigos, apoio de terapeutas e parceria com o Movimento Artístico da Praia Vermelha, fizemos o primeiro desfile parado do Bloco Eficiente no dia 01/02/2015, na Praia Vermelha.

O bloco foi uma grande confraternização entre crianças deficientes e seus familiares, amigos, admiradores. O clima festivo esbanjava brilho nos olhares e amor nos corações. Pessoas de diferentes lugares e diversas conexões estiveram presentes para animar o nosso primeiro encontro carnavalesco. Até São Pedro colaborou, pois garantiu uma temperatura mais amena e o temporal previsto para o dia só desabou após a dispersão das crianças.

Passada a nossa estreia, só tenho palavras de agradecimento. A presença de todos, as condições climáticas, as parcerias, tudo conspirou para termos um momento único e delicioso. Que venham os próximos encontros e que sejam ainda mais proveitosos. 

Things you might like

Other articles you might enjoy...

Survey icon

Public Opinion…

Do you find grocery shopping easy to do with your disabled child?